quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Vídeo BBC - A Célula - Episódio 3 - A Centelha da Vida





quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Resumo sobre Microscopia



Download 1 - Dropbox
Download 2 - Mega
Download 3 - Google Drive
Download 4 - Box

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Resumo sobre as plantas de bolbos

As plantas de bolbos constituem um pequeno milagre da natureza: enterra-se uma "cebola" e alguns meses mais tarde, vemos sair um caule vigoroso com flores sumptuosas! No entanto, é bastante delicado conseguir que volte a dar flores...



Antes de plantar...
Verifique o seu tipo de terra : os solos pesados e argilosos, que retêm muita água no Inverno não são indicados para os bolbos. Eles preferem solos que drenem bem e que sejam ricos, como o solo limoso. Todos necessitam de luz em proporções variáveis. A falta de luz impede-os de reconstituir as suas reservas depois de darem flor e vão florindo cada vez menos. De qualquer maneira, não é fácil de voltar a fazer florir as túlipas com flores dobradas e as coroas imperiais, que são muito exigentes. Prefira os bolbos mais fáceis, que se naturalizam voltando a semear-se no jardim. O muscaris e o Galanthus são extraordinários, em grandes colónias, debaixo das árvores.
Os bolbos de verão, dálias e gladíolos, são menos exigentes pois não terão de passar o inverno na terra. Também gostam do sol directo. Como não quer deixar o lugar vazio no Inverno, durante a época fria pense em substituí-los por plantas com interesse invernal, como a urze colorida ou as couves de ornamento.



Na altura de plantar
Trabalhe a terra em profundidade e se estiver um pouco compacta, misture-lhe matérias que facilitarão o escoamento da água tal como o composto fibroso. Não faça uma camada de gravilha, no solo argiloso mesmo se por vezes se recomenda que se faça tal coisa. A água vai acumular-se como se fosse uma banheira e os bolbos vão apodrecer. Enterre os bolbos na profundidade devida, isto é, três vezes a sua altura. Numa terra arenosa, plante-os um pouco mais profundo e um pouco menos profundo se a terra for pouco drenante. Coloque-os com o rebento virado para cima. Em caso de dúvida, plante-os de lado e o caule encontrará ela mesma a boa orientação. Não coloque fertilizantes nem regue depois de plantar: os bolbos desenrascam-se. Marque o sítio onde os plantou para que não se esqueça deles e os vá perturbar sem dar por isso !


Cuidar deles
As plantas de bolbos são vegetais muito fáceis. Não é necessária rega pois eles entram em hibernação quando as condições se tornam desfavoráveis. Deixe a folhagem mesmo depois de terem florido. Não deve cortar nem atar as folhas pois deixariam de ter luz e no ano seguinte não voltariam a florir.
No Outono, arranque os bolbos de verão e guarde-os na cave à temperatura entre 5-10ºC, ao abrigo do gelo e da luz. Não se esqueça de lhes colocar etiquetas para saber qual é a sua cor. Os bolbos que dão flor na primavera e que passaram o inverno na terra não necessitam de ser arrancados depois de murcharem.

Resumo sobre as Plantas Vivazes

As plantas vivazes são plantas que duram vários anos mas que não acumulam ramos de madeira, contrariamente aos arbustos e às árvores. É por isso que se chamam perenes. Encontrará uma variedade extraordinária de flores e de folhagem, mas também bagas, além de cores de Outono. É impossível não as ter no jardim !



Antes de plantar...
A palete de plantas vivazes é tão grande que tem que pensar qual o efeito que deseja obter. Algumas são conhecidas como sendo fáceis de cultivar (as ásters, por exemplo), outras pelo seu tamanho grande (as eulálias ou Miscanthus) e outras ainda, pela sua floração sem igual (como as gaura). Há também pequenas jóias muito frágeis, belas, como as orquídeas ou com uma cor muito distinta. Experimente-os se já tem alguma experiência, mas se é principiante escolha valores seguros.
Todas as cores e todas as folhagens são possíveis: faça a sua escolha associando vários tipos. Algumas vivazes têm tendência a crescer em tufos densos e apertados como o lírio da Sibéria enquanto que, outros se espalham em tufos largos e podem mesmo ser invasivas como a neve-na-montanha (Aegopodium podagraria 'Variegata'). As plantas vivazes grandes podem servir de sebe sazonal (desaparecem no Inverno), ou podem preencher a parte detrás de um maciço. As mais pequenas devem ser colocadas na frente dos maciços ou junto do pé dos arbustos, para cobrir o solo. Chamam-se “cobertura” porque têm tendência a espalhar-se, como por exemplo, os gerânios vivazes.




Na altura de plantar
A melhor época para plantar as vivazes é na Primavera ou no Outono. Num clima quente é preferível plantar no Outono para que os indivíduos se instalem durante a época de repouso. Nos outros sítios, plante na Primavera depois de terem passado as geadas. É preferível plantar quando a planta ainda está a hibernar: os vasos grandes com plantas em flor que encontramos à venda dar-nos-ão efeito imediato mas não serão elas que nos darão maior satisfação, acredite !
Desfazer o torrão não é tão crucial para as plantas vivazes como o é para as árvores e os arbustos. Como não produzem ramos, as raízes não vivem muito tempo sendo depois substituídas por outras. No entanto, com solo argiloso ou pobre é preferível espalhar as raízes no fundo do buraco de plantação pois assim ficam mais em contacto com a terra. Enriqueça a terra com substrato: as plantas vivazes adoram isso. Mas evite o estrume não decomposto que as faz apodrecer. Para as mais gulosas, que formam caules grandes ou folhas grandes, dê-lhe um pouco de fertilizante no fim do Inverno.


Cuidar delas
No Outono, as plantas vivazes gostam que lhes coloquem uma camada de folhas mortas no solo à volta delas. Limpe-as no fim do Inverno quando os rebentos jovens se formam na base dos caules velhos. Cuidado com o ataque das lesmas que roem os rebentos tenros. Um produto anti-lesma feito à base de fosfato férrico, respeita a fauna e o ambiente, mas será de grande utilidade.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares